Quais os comedouros mais utilizados na criação de frango e galinha caipira?

Existem diversos tipos de comedouros para frangos e galinhas caipiras

Frangos no comedouro

No manejo de frangos e galinhas caipiras, várias instalações são necessárias para garantir o sucesso da atividade. O tipo de equipamento utilizado e a quantidade destes depende do sistema de criação e do número de aves a serem criadas. Muitas vezes, o criador desenvolve seus próprios equipamentos, barateando os custos de implantação.

Luiz Fernando Teixeira Albino, professor do Curso Online Criação de Frango e Galinha Caipira, da Universidade Online de Viçosa, enumera que “os equipamentos básicos para a atividade avícola, seja ela industrial ou sistema caipira: comedouros, bebedouros, campânulas, termômetros, ventiladores, bandejas de alimentação, círculos de proteção, balança e cortinas. Outros equipamentos podem ser necessários, dependendo de diversos fatores.”.

Importantes no fornecimento de alimento para as aves, os comedouros podem se apresentar de vários tipos. Confira os principais:


Os comedouros normalmente utilizados e disponíveis no mercado são do tipo bandeja, tubular e automático helicoidal ou tuboflex. O tipo bandeja, confeccionado em plástico, chapa galvanizada ou madeira, é usado nos primeiros dias de vida dos pintos, dentro dos círculos de proteção, na proporção de um comedouro para 80 pintos. Esse tipo de equipamento necessita de cuidados especiais quanto à qualidade da ração. Por isso, é necessário peneirar a ração no mínimo duas vezes por dia, para retirar as fezes e a maravalha, a fim de manter as bandejas sempre limpas, bem como reabastecer a ração várias vezes por dia. A partir do 5º dia, inicia-se a substituição dos comedouros bandeja pelos definitivos, que podem ser automáticos ou tubulares.

Os tubulares têm a vantagem de serem mais práticos e baratos. O tipo tubular tem capacidade para 40 aves. Devem ser distribuídos em fileiras equidistantes 2 m um do outro, para facilitar o abastecimento e o acesso das aves. O tubo é feito em chapa galvanizada, com capacidade para 3,5 (tubular infantil), 15 e 20 kg de ração, e os pratos são de alumínio, chapa galvanizada ou plástico.

Os de calha são mais eficientes na distribuição de ração, só que, às vezes, pode-se precisar de motores elétricos para a distribuição da ração, o que os torna um pouco mais caros, além de que não podem fornecer a ração no pasto, pois não podem ser retirados facilmente em caso de chuva.

Sempre que reabastecer os comedouros, recomenda-se batê-los para que os restos de ração se desprendam das suas paredes e sejam aproveitados (consumos). A regulagem da altura do comedouro deve ser feita periodicamente para evitar perda de ração.

O comedouro tipo helicoidal ou tuboflex é constituído por um sistema automático em linhas, o que permite ajustar a altura dessas linhas de acordo com o tamanho das aves. O prato, galvanizado ou de plástico, tem capacidade para atender a 40 aves. Seu funcionamento, relativamente fácil, consta de um depósito de ração, e sua distribuição nos pratos do circuito é feita por meio de tubos galvanizados com uma espiral (helicoidal). Esse sistema permite maior segurança para os pintinhos, diminui desperdícios de ração e reduz, consideravelmente, custos com mão de obra.


Conheça nosso Curso Online Criação de Frango e Galinha Caipira


por Renato Rodrigues

Receba Mais Informações

A UOV garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.

Universidade Online de Viçosa © 2006 - 2018. Todos os direitos reservados
Rua Dr. João Alfredo, 130 - Bairro Ramos, Viçosa - MG / CEP: 36570-000
CNPJ: 21.183.196/0001-77 Inscrição Estadual: 002455277.00-20
(31) 3899-7000 / adm@uov.com.br

Empresa Genuinamente Brasileira Empresa Genuinamente Brasileira
Atendimento Online
Ligamos para Você