A Dengue e o Jardim

"Mantenha os vasos e pratinhos com a boca para baixo"/ Foto: Liz Jones

 

O verão está aí, e com ele os casos de dengue aumentam ainda mais. O problema ganha dimensões epidêmicas e a cada ano que passa faz mais vítimas fatais.

A doença não discrimina ninguém, são crianças, adultos e idosos, homens e mulheres, ricos e pobres que adoecem, devido à picada do mosquito Aedes aegypti contaminado. Todos devem fazer a sua parte para proteger a sociedade. Em especial os jardineiros e paisagistas têm uma responsabilidade muito importante neste cenário. Todas as pessoas que gostam de plantas, e cultivam jardins domésticos, seja de forma profissional ou amadora, devem zelar para que o jardim permaneça livre do mosquito.

Para tomarmos as medidas cabíveis, é necessário entender como funciona o ciclo de vida do mosquito. Eles são mosquitos urbanos, próprios de regiões tropicais e subtropicais e não resistem ao frio. As fêmeas são as únicas a sugar o sangue, elas procuram reservatórios de água parada e limpa para desovarem. Os ovos são depositados na parede dos recipientes e aguardam que o nível de água suba para eclodirem. Eles desenvolve-se por metamorfose completa. Seu ciclo de vida, portanto, compreende quatro fases: ovo, larva, pupa e adulto.

As fêmeas do A. aegypti preferem o sangue de humanos ao de outros animais, além disso seus hábitos de alimentação são diurnos, ao contrário de muitas outras espécies de mosquito que preferem picar à noite. Além de transmitir a dengue, o A. aegypti é também o responsável pela transmissão da febre amarela.

Algumas medidas de prevenção à proliferação dos mosquitos no jardim e nas plantas:

- Remova e limpe todo e qualquer reservatório de água que esteja inútil no jardim, como pneus, tampinhas, garrafas, vasos e pratinhos velhos.

- Mantenha o jardim limpo e lixeiras fechadas. Lixo e entulho atraem pragas, mosquitos e acabam com o visual de qualquer jardim.

- Guarde pratinhos, vasos e garrafas sempre com a boca para baixo, assim eles não acumulam água.

- Evite o uso de pratinhos sob as plantas, além de ser um local próprio para a procriação dos mosquitos, os pratinhos dificultam a drenagem perfeita do substrato e podem provocar o apodrecimento das raízes das plantas.

- As regas devem seguir a seguinte regra: Quando o substrato secar superficialmente, devemos irrigar a planta. (algumas plantas são exceção, verifique as particularidades das espécies que você cultiva). Os pratos são úteis apenas quando ficaremos longos períodos sem regar as plantas, como em viagens.

- Se mesmo assim você preferir os pratinhos adote uma das seguintes soluções: Mantenha o pratinho cheio de areia (até a borda) e não esqueça de repor sempre que necessário ou acrescente borra de café pura ou a mistura de borra de café, feita com duas colheres de borra de café para meio-copo de água.

- A mistura de borra de café é a solução ideal para as bromélias e outras plantas que precisam acumular água. Jamais deixe suas bromélias secas com medo da dengue, elas vão enfraquecer e morrerão em breve. Utilize a mistura de café a mantenha os mosquitos afastados.

- O café é natural e não apresenta os problemas que os venenos comerciais podem ter. A borra de café pode invadir tranquilamente até as hortas ecológicas que utilizam adubos e defensivos orgânicos.

- Cultive plantas repelentes e utilize seus produtos nas outras plantas do jardim, como citronela, neen, arruda, angico, gerânio, malva rosa, mastruz, artemisia, crisântemo, cravo de defunto. Caldas feitas com as folhas e flores dessas plantas e aplicadas com puverizador sobre as outras espécies podem funcionar como excelente repelente contra mosquitos e outras pragas de jardim.

- Mantenha os bebedouros dos animais sempre limpos e troque a água diariamente, passarinhos e animais domésticos agradecem por ter água fresquinha e você acaba com as larvas e ovos dos mosquitos.

- Piscinas devem ser tratadas o ano todo, independente se você utilizá-la ou não. Muitos bairros ricos, com piscinas grandes e luxuosas, abandonadas pelos seus proprietários a maior parte do ano, tornam-se focos de milhares de mosquitos de diversas espécies.

- Laguinhos, espelhos d'água e fontes devem ter sempre peixinhos que se alimentem de larvas de mosquitos, como platis, molinésias, espadas ou betas. Se os seus peixinhos morrerem, descobra o porquê e reponha-os o mais depressa possível.

- Ao criar seus arranjos florais, dê preferência à espuma floral, ao invés do vaso com água. A espuma não é ambiente para a reprodução do mosquito, além disso ela mantém o arranjo bonito por mais tempo. Mantenha a espuma floral úmida, jamais encharcada.

Aproveite e vá agora mesmo verificar o seu jardim. Não esqueça de contar as dicas para os seus amigos, vizinhos e parentes, para que todos conheçam as ferramentas no combate à dengue. Faça sua parte, isto é cidadania.

 

Fonte: www.jardineiro.net

Autor: Raquel Patro

 

Receba Mais Informações

A UOV garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.

Universidade Online de Viçosa © 2006 - 2017. Todos os direitos reservados
Rua Dr. João Alfredo, 130 - Bairro Ramos, Viçosa - MG / CEP: 36570-000
CNPJ: 21.183.196/0001-77 Inscrição Estadual: 002455277.00-20
(31) 3899-7000 / adm@uov.com.br

Empresa Genuinamente Brasileira Empresa Genuinamente Brasileira
Atendimento Online
Ligamos para Você