Qual o primeiro indício de que a pastagem está em degradação

A invasão de plantas daninhas é o primeiro indício de que a pastagem está em degradação

Qual o primeiro indício de que a pastagem está em degradação

Segundo o zootecnista José Alves Barreto Filho, a invasão de plantas daninhas é o primeiro indício de que a pastagem está em degradação. O solo exposto também indica problemas de fertilidade na área, o que enfraquece a forrageira. Quando a forrageira está fraca, as plantas invasoras competem com ela por nutrientes até que não haja mais forrageira no local. Está vencida a batalha e a degradação toma conta do pasto.

Para evitar que isso aconteça, “o pecuarista deve realizar o controle de plantas daninhas e fazer o acompanhamento da fertilidade do solo. Dessa forma, é possível reverter rapidamente o quadro de degradação”, afirmam Adilson de Paula Almeida Aguiar e Mateus Contatto Caseta, professores do Curso Online UOV Recuperação de Pastagens - Método Direto.


Pastagens com alto poder de ocupação

As plantas daninhas não invadem pastagens com forrageiras de alto poder de ocupação nem pastagens onde se realiza o manejo adequado do rebanho. Sob essas condições, as plantas daninhas mais comuns são: amendoim-do-campo (Pterogyne nitens), leiteiro (Peschiera fuschsiaefolia) e assa-peixe (Vernonia spp.). Elas apresentam crescimento muito lento, o que requer controle menos rigoroso e pouco frequente por parte do pecuarista.


Pastagens com baixo potencial de ocupação

Quando a ocupação da superfície do solo não é efetiva e o pecuarista superlota o piquete com animais, espécies de invasoras com maior potencial de reprodução e ciclo mais curto dominam a pastagem. Sob essas condições, as forrageiras perdem para as plantas daninhas, o que necessita de um controle rigoroso e frequente. E as espécies de invasoras mais comuns são: capim-rabo-de-burro (Andropogon bicornis), guanxumas (Sida spp.) e samambaia (Pteridium aquilinum).


Fertilidade do solo

Realizar a calagem do solo e aplicar adubos fosfatados são medidas indispensáveis para reverter a degradação da pastagem. Nas áreas com solos argilosos, a aplicação do fósforo estimula o rápido enraizamento das forrageiras. Isso aumenta o potencial de crescimento das forrageiras e diminui a capacidade de produção das invasoras.

No caso de espécies forrageiras mais exigentes, é preciso incorporar no solo fosfato de rocha antes do plantio. Já nas áreas com altas taxas de lotação, em pastejo rotativo, e áreas de corte para silagem é recomendada a incorporação de potássio ao solo.


A importância do NPK para as pastagens

O (N) nitrogênio potencializa a produção da pastagem.
O (P) fósforo promove o estabelecimento da pastagem.
O (K) potássio mantém a produtividade da pastagem.


Conheça os Cursos Online UOV da Área Pastagens e Alimentação Animal.

Fontes: girodoboi.com.br; geodegrade.cnpm.embrapa.br

Por Andréa Oliveira.

 

Deixe seu comentário!

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

Receba Mais Informações

A UOV garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Fique por dentro das novidades! (Artigos, notícias, dicas, promoções e muito mais)

Universidade Online de Viçosa © 2006 - 2018. Todos os direitos reservados
Rua Dr. João Alfredo, 130 - Bairro Ramos, Viçosa - MG / CEP: 36570-254
CNPJ: 21.183.196/0001-77

Empresa Genuinamente Brasileira Empresa Genuinamente Brasileira
Atendimento Online
Ligamos para Você