Eleições 2018: o problema das fake news (notícias falsas)

As fake news colocam as Eleições 2018 em um grande impasse, pois podem deturpar a imagem dos candidatos ao pleito eleitoral

Eleições 2018: o problema das fake news (notícias falsas)

Nos últimos dois anos, candidatos e legendas passaram divulgar posts nas redes sociais, principalmente no Facebook e no Twitter. Entretanto, embora sejam ferramentas de suma relevância no compartilhamento de informações, as redes sociais são alvo das fake news, publicadas para conturbar o ambiente virtual e confundir as pessoas com notícias falsas.

Até mesmo o WhatsApp não está livre das fake news. Após greve de 11 dias dos caminhoneiros, foram compartilhadas mensagens que afirmavam nova greve, o que alarmou muitas pessoas. “As fake news também podem deturpar a imagem dos candidatos nas eleições 2018”, afirma Tadeu Comerlatto, professor do Curso Online UOV Campanha de Prefeito - Passo a Passo.

Quem for descoberto na propagação das fake news será submetido a sérias punições. A Justiça Eleitoral tem trabalhado energicamente para combater esse mal. Isso porque as notícias falsas podem colocar em risco uma campanha eleitoral saudável e construtiva. Um exemplo recente foram as fake news divulgadas nas últimas eleições presidenciais dos Estados Unidos.

O mesmo ocorreu nas eleições presidenciais na França. Em ambos os países, as fake news tiveram mais visualizações que as notícias legítimas, o que influenciou diretamente na decisão de voto dos eleitores franceses e norte-americanos. Isso nos mostra o quão manipuladoras são as fake news no mundo virtual.

As notícias falsas alteram a posição dos candidatos no ranking eleitoral e pior: reformulam os ideais defendidos por candidatos ou partidos. Na verdade, as fake news desvirtuam a legitimidade e autenticidade das informações, que são compartilhadas por pessoas, que desconhecem a procedência das notícias e ainda assim as propagam na internet.

Como é difícil descobrir o propagador original das fake news, a sua total extinção é impossível. Ainda que existam sanções para punir o responsável, monitorar sua origem é tarefa complexa. Por tais motivos, a Justiça Eleitoral busca meios eficazes, junto aos órgãos de segurança e às divulgadoras de notícias, para impedir que as fake news ganhem maior visibilidade.

Conheça os Cursos Online UOV da Área Treinamento Profissional.

Fonte: politica.estadao.com.br

Por Andréa Oliveira.

 

Deixe seu comentário!

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

Receba Mais Informações

A UOV garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Fique por dentro das novidades! (Artigos, notícias, dicas, promoções e muito mais)

Universidade Online de Viçosa © 2006 - 2018. Todos os direitos reservados
Rua Dr. João Alfredo, 130 - Bairro Ramos, Viçosa - MG / CEP: 36570-254
CNPJ: 21.183.196/0001-77

Empresa Genuinamente Brasileira Empresa Genuinamente Brasileira
Atendimento Online
Ligamos para Você